INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

 

Corresponde ao ato de depositar o sêmen diretamente no útero da égua. É um processo que não causa incômodo ao animal e visa minimizar os riscos da cobertura por monta natural tanto para a égua quanto para o garanhão.

Entretanto, a principal vantagem é a maximização da eficiência reprodutiva, reduzindo drasticamente os riscos de transmissão de doenças e da contaminação do útero por bactérias. Além disso, o sêmen pode ser fracionado para ser utilizado em maior número de éguas, o que é importante em reprodutores muito demandados.

Sêmen Fresco
Quando o sêmen é colhido do garanhão e imediatamente depositado no útero da égua.

Sêmen Refrigerado
O sêmen é colhido do garanhão, refrigerado a15°C ou 5ºC num recipiente indicado para este fim por no máximo 24 ou 48h, e então depositado no útero da égua.
 
Sêmen Congelado
É realizado o descongelamento do sêmen, o qual, mediante o auxílio do endoscópio ou de pipeta flexível, é então depositado próximo à trompa uterina, na extremidade interna do útero. Com isso, o sêmen tem que percorrer uma distância muito menor do que se verifica na inseminação convencional. Esta técnica, ainda muito pouco divulgada no Brasil, melhora em muito a taxa de fertilidade obtida com o uso de sêmen congelado, melhorando o índice de doses de sêmen por prenhez positiva.